Teoria da Evolução continua dando provas de sua validade, mesmo após 150 anos

Tá certo, atendendo ao pedido de uma fiel leitora do Blog, eis que vos pergunto: – já ouviram falar na premiação Darwin Award?! E eis também que vos explico. Este prêmio é nada mais nada menos que uma chacota com pessoas que se auto-destoem, tal qual esses robôs de filme de ficção que ao se verem sem saída são programados para se destruírem sem deixar pistas soltas.

Pois bem, a crucial diferença entre esses robôs e os ganhadores do Darwin Awards é que eles têm um sentido de ser, ou seja, a morte tem alguma utilidade, tem um fim necessário. Os infortúnios premiados com o Darwin, não.

Vamos lá! Ganha um Darwin Awards aquele cidadão cuja finalidade da morte – provocada por um ato estritamente voluntário – é execrar seus genes obtusos ou ruins da face da Terra. Fazendo com isso, um grande favor à natureza da espécie.

Vem daí, a razão de ser da nomenclatura do prêmio. Por fazer analogia ao grande inventor da Teoria da Evolução, onde prega que as espécies “mais fracas”, geneticamente despreparadas não sobrevivem ao meio. É a lei dos mais fortes!

Na analogia do prêmio, esse ser vivo se encarrega ele próprio de fazer a seleção. Não é problema de genes fracos para enfrentar o mundo perverso e sim um problema da ordem da inteligência, ou do bom senso. São pessoas que, de repente, têm alguma síndrome de herói.Com todo respeito aos póstumos ganhadores do Darwin.

Sonhadores, lutadores, gente de fé em si mesma e em sabe-se lá mais o quê, vitoriosos pelos seus feitos “espetaculosos”. Só assim, para tentar explicar certas ações que, para todo mundo, é bem óbvio o seu caráter de inviabilidade. Menos para os ganhadores dos Prêmios. É claro!

O Brasil também tem o seu Darwin Awards!

Sim, minha gente! Nós temos um prêmio Darwin Awards obtido no ano passado, 2008. Ele foi para o caso do padre paranaense Adelir de Carli. Lembram dele? O tal padre que resolveu voar com balões cheios de gás hélio para garantir que, ao bater um Record, conseguisse verba para construção de um templo católico para a Comunidade.

Pois bem, o ato do padre comprova que nem sempre ter boa intenção, basta. O mesmo equipou-se como achava que deveria. Usou uma roupa com um tipo de papel laminado, utilizou diversos balões presos a uma cadeira, levou um GPS e um telefone via satélite. Até aí… No dia do vôo, o tempo estava fechado, difícil até para decolar com aeronaves. Mas o decido (destemido) padre ignorou os avisos contrários à aventura.

Resultado: A roupa laminada fazia o efeito inverso ao ser molhada e como o vento não estava à disposição do padre, foi para onde quis. O caminho; o mar. A água gelada do mar aberto fez a roupa o resfriar. Eram muitos balões, mais do que ele conseguiria estourar antes de ser empurrado a contragosto pela ventania. Salvação o GPS. Ele não se deu ao trabalho de aprender a usar. Telefone via satélite?! A bateria arriou. Ele provavelmente também, esqueceu de carregar. Fé?! Excesso de segurança?! Nunca saberemos.

Detalhe, o prêmio do Padre é duplo! Isso porque, de qualquer maneira, seus genes não seriam transmitidos, mesmo em vida. Padre não pode ter filhos!


Outros casos

Para melhor ilustrar este texto cito algumas estonteantes vitórias dos últimos anos. Visto que o Prêmio vem sendo gentilmente cedido, oficialmente desde 1991.

2008

Carro sobrevivente. Dono inconseqüente!

Essa é demais-mais!!! Imagine-se num porsche cayenne. Esse da foto abaixo da descrição do caso:

Personagem: Gerhard Adolf Zeitler Plattner – Idade: 68

Nacionalidade: Itália

Caso: Eis que Gerhard estava parado num sinal de trânsito do cruzamento de uma linha férrea. O trânsito deu uma tímida andada e ele resolveu se arriscar enquanto a sinalização dava alerta de que iria baixar cancelas. Lá vinha o trem. A mania das pessoas se apressarem em algumas situações, o fez crer que daria tempo. Não deu!!! A solução: Cancelas baixadas, trânsito parado, porsche preso na linha do TREEEMMM. O senhor saiu gritando e chacoalhando os braços a fim de que o maquinista parasse a locomotiva. Resultado: ele foi arremessado cerca de 30 metros e seu carro… Esse sofreu poucas avarias, já o dono, não se pode dizer a mesma coisa. Foi dessa para melhor!

Porsche Cayenne

E agora quem irá me dirigir?!

2007

Devolvam minhas bolas!!!

Personagem: Ladrão sem sorte, Eduard

Nacionalidade: Russia

Caso: Esse é fantástico! Certa noite um sagaz ladrão resolveu furtar uma casa. A propriedade era de um sujeito deficiente. Tudo ia muito bem, até a hora do furtivo ladrão sair. O dono acordou e mesmo deficiente mostrou toda sua valentia em gritos, e golpes com as mãos. Não pensou duas vezes e zaz acertou-lhe uma muletada bem no meio das pernas. Lá onde o vento não bate. Eduard fugiu pela janela do apartamento que ficava no primeiro piso. Após desferir o golpe que salvara seu lar de um roubo, o dono da casa percebeu que algo caiu das calças do ladrão. O que seria aquilo? Pensou. Ao olhar bem de perto, percebera que havia arrancado uma das bolas do larápio. Este que fora encontrado algum tempo depois inconsciente estirado numa calçada qualquer. Quando chegaram os médicos para atendê-lo, ele começou a gritar: – Me devolva minha bola! Rs. O pior é que ao ser internado o azarado ainda teve a outra bola arrancada para evitar gangrena. Ofendido, o ladrão registrou queixa contra seu agressor-vítima.

Bebendo até o – piii – fazer bico!

Personagem: Michael

Nacionalidade: EUA – Texas

Caso: Michael um senhor de meia idade, 58, estava com um problema na garganta que o impedia de engolir alimentos. Alcoólatra, Michael não pensou duas vezes e achou rapidinho um novo orifício para beber seus licores. Um belo dia, durante uma festa ele resolveu inebriar seus sentidos como costumava fazer. Via reto. Isso mesmo, ele tomava literalmente licor pelo brioco. Moral da história, se o objetivo era ficar bêbado, ele conseguiu ir mais adiante ainda. Ele morreu, se auto-embalsamou com uma quantidade de 3 litros de bebida, via anal. Foi diagnosticada uma quantidade de 0,47% de álcool em sua corrente sanguínea. Mais do que tolerável pelo organismo. Quem consegue viver com quase 50% de álcool na corrente sanguínea?! É meio hemácias e meio etanol. Não dá para ele não, definitivamente!

 

Efeitos do álcool no sangue:

0,02% – relaxamento, tempo de reação diminui, bem estar.

0,04% – o bem estar e o relaxamento continuam, mas o tempo de reação continua a diminuir e a descoordenação começa.

0,06% – prejuízo do raciocínio, menor capacidade de processar informações.

0,08% – a coordenação motora piora.

0,10% – prejuízo evidente do raciocínio e de coordenação; visivelmente bêbado.

0,15 a 0,25% – risco alto de blackouts (apagamento) e acidentes.

0,25 a 0,35% – a pessoa pode desmaiar; perder a consciência; risco de morte.
0,40% – dose letal.

É, me sinto uma aspirante a e Einstein, diante de todos esses fatos. Você não?!

Saiba mais:

http://darwinawards.com/darwin/darwin2007-13.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Charles_Darwin

http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?mat=117

 

Anúncios