Entre previsões pessimistas, um fio de esperança

Dia da Terra 2009 com boas novidades e muitas batalhas para vencer

Terra

Terra

A solução para os problemas ambientais enfrentados nos dias de hoje está longe de serem extintos num curto prazo, porém a resposta para a maioria deles, já está se tornando velha conhecida. Como é o caso do aquecimento global, onde mesmo que, o indivíduo não saiba exatamente o que é, tem alguma noção de seus reflexos no meio ambiente.


E diferentemente do que pensam muitas pessoas, efeito e estufa e aquecimento global não são exatamente as mesmas coisas. O primeiro é um fenômeno da natureza onde gases como o Gás carbônico e metano, por exemplo, retém calor na atmosfera. Isto na quantidade necessário a manutenção da temperatura ideal para a manutenção da vida na Terra. Já na definição do segundo, é começam os problemas.


O tão falado aquecimento global é a potencialização do efeito estufa (E.E.). Ou seja, devido às atividades humanas ligadas à queima de combustíveis fósseis, a citar o CO2 entre outros, retendo mais calor do que o necessário na camada atmosférica.

É aí que reside o perigo, segundo a teoria do aquecimento global pelos gases de E.E., pois a elevação da temperatura causa diversos reflexos não controláveis na natureza, como por exemplo, o derretimento das zonas polares da Terra.


Pois bem, quanto a isto muito se fala e cada vez mais a população mundial, e os governos mundiais vem sendo alertados por grupos ambientalistas e pela mídia sobre o problema. A previsão dos especialistas é de que, se continuar no ritmo que está o planeta muito em breve entrará em colapso e devolverá aos homens o resultado de suas ações.


Ou seja, eventos naturais com grande intensidade, promovidos por esse aumento do calor já são vistos, como furacões, secas intensas e alagamentos devastadores. A temperatura média da terra aumentou cerca de 0,7° no último século e seus efeitos já podem ser percebidos em alterações climáticas.


Assim, notam-se esparsamente mobilizações ao redor do mundo em prol da luta contra o aquecimento global. O Greenpeace no Brasil, por exemplo, lançou, com base em dois outros estudos sobre o cenário energético brasileiro, o relatório [r]evolução energética. O grupo aponta como solução, o apoio político e o investimento em fontes de energias renováveis, como eólica, solar, usinas de biomassa, pequenas hidrelétricas entre outros meios que emitam 0% ou reduzida quantidade de gases de efeito estufa.


Outras ações como empresas que trabalham com a instalação de fontes de energia renovável em residências e empresas, o não investimento em usinas nucleares, também já são fatos. Além é claro, de pesquisas e aportes em tecnologias eletroeletrônicas e automobilística que tenham, respectivamente, consumo eficiente e racional de energia e não produzam resíduos derivados da queima dos combustíveis fósseis como petróleo e gás natural.


Inicia aqui, a série de artigos sobre crise ambiental enfrentada no século 21. Serão visas diversas iniciativas alternativas ao que cenário que se tem hoje, tanto em relação a empresas e governos como aos consumidores. Sugestões e estudos sobre o que cada um pode fazer serão publicados em comemoração ao Dia da Terra 2009.


A Grande Questão


A Terra já se aqueceu e resfriou ao limite, diversas vezes ao longo dos seus 4,5 bilhões de anos. Modificando sua face, causando extinções e criações de vidas. Já diz a lei da física, toda ação provoca uma reação e é neste pé, que se encontra a batalha contra os efeitos das ações humanas no planeta Terra, e também um grande debate entre cientistas chamados de céticos e cientistas chamados de dogmáticos.


A grande questão é que apesar de a Terra ter processos físico-químicos e climatológicos naturais, que modificam suas condições de vida, pesquisas apontam que a atividade humana baseada na queima de combustíveis fósseis também contribui bastante com este aquecimento precoce.


No entanto, há uma corrente de discussão que defende que as ações humanas pouco influem neste processo e apontam inclusive como grande causador os raios solares. Enfim, é uma discussão técnica e bastante acirrada ao qual é necessário mais espaço e será detalhada em um artigo único. Fato é que pelos gases de E.E. ou pelos raios solares o planeta está mudando e o que está em jogo não é ele em si, mas as vidas que são afetadas por essas alterações dentro dele.


Fato é que o estilo de vida baseado no capitalismo e no consumismo e o ritmo acelerado como este se dá está esgotando a capacidade de resiliência, ou tempo de renovação, da Terra. Então, que mal há em lutar para que esta realidade mude. Independente de aquecer ou não o Planeta.


Até que prove o contrário, a maioria dos seres vivos e nisto inclui-se o homem necessitam da mistura de gases mais conhecida por oxigênio e não de CO2 para viver. Sendo assim, diversos pontos defendidos por ambientalistas e cientistas sobre o tema fazem todo o sentido, sim.


De fato, é necessário que a Amazônia esteja de pé para que não haja mais emissões de gás carbônico e menos fontes de renovação do ar. Já que as árvores são importantes, mas não os maiores, renovadores. Assim como, é necessário que haja menos poluição dos mares, estes responsáveis por 90% da troca do CO2 por oxigênio necessário à vida.


E alheio a questão da renovação do ar, a Amazônia é imprescindível por fatores diversos, a começar pela diversidade biológica situada em sua floresta. E isto, tão cientificamente sabido como a corrente que defende o aquecimento da Terra pelos raios solares. Sem falar que o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking dos maiores emissores de gases de E.E. no mundo e isto em decorrência das queimadas de florestas em especial a Amazônia. Mais detalhes serão conferidos no artigo sobre este tema.


Então, depois desse breve panorama sobre a crise ambiental, a que todos estão envolvidos, será que não vale à pena pensar com mais carinho antes de jogar o lixo na rua, de pegar o carro para andar distâncias curtas ou trajetos que poderia facilmente ser feitos com transporte público? Ainda está em tempo, dizem os especialistas, a sua posição diante disto é que pode fazer toda a diferença.


Ah… E Viva a Terra, nosso lar!!!


Fontes:

http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/090420/saude/eua_espa__o

http://dererummundi.blogspot.com/2007/04/uma-tacada-forte-em-mentiras.html

http://www.ecodebate.com.br/2009/01/13/floresta-zero-minc-critica-stephanes-por-ter-acabado-com-grupo-de-trabalho-que-discutia-mudancas-no-codigo-florestal/

http://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?base=./educacao/index.php3&conteudo=./educacao/artigos/diadaterra.html

http://360graus.terra.com.br/ecologia/default.asp?did=22985&action=news

http://www.bancodoplaneta.com.br/profiles/blog/show?id=1741754%3ABlogPost%3A220654

http://www.bancodoplaneta.com.br/profiles/blog/show?id=1741754%3ABlogPost%3A220654

http://odia.terra.com.br/mundo/htm/greenpeace_protesta_em_hotel_onde_lula_esta_hospedado_236104.asp

http://p2-raw.greenpeace.org/brasil/greenpeace-brasil-clima/entenda/o-que-sao

http://br.noticias.yahoo.com/s/20042009/48/saude-no-dia-22-abril-comemora.html

Anúncios