Energias renováveis para um mundo sustentável

Energias Renováveis trazem novas esperanças

Energias Renováveis trazem novas esperanças

Diante da crise ambiental que se vive hoje, muito se discute a respeito de possibilidades alternativas para diversas ações humanas. O que se põe em questão é a forma de ser e estar do homem no Planeta e a relação de subjugamento que ele impõe aos recursos naturais. Assim, um dos temas em voga são as energias renováveis, formas de geração energética limpas, ou bem menos poluente.

O principal motivo pelo qual se discute a implementação dessas fontes renováveis é a luta contra o aquecimento global. Que é a potencialização e a aceleração de um fenônemo natural e necessário à vida no Planeta, o famoso efeito estufa.

O historiador e ambientalista ligado aos voluntários da ONG Greenpeace-Rio Pedro Torres, 25, explica porque o Brasil deveria investir na mudança de sua matriz energética, que é baseada em combustíveis fósseis como carvão, petróleo e gás natural. “Além de solucionar grandes problemas ambientais, como o efeito estufa, as novas renováveis ajudam a combater a pobreza”.

Panorama brasileiro

Acreditando na potencialidade do Brasil e do mundo na geração de energias renováveis, o Greenpeace elaborou o relatório R[Evolução] Energética, que propõe uma mudança gradual na matriz energética brasileira até o Ano de 2050. Isso para evitar que a Terra ultrapasse o limite de 2°C em sua temperatura média, a fim de evitar grandes catástrofes ambientais.

O Relatório da ONG aponta um caminho apoiado em três bases. O consumo, geração e distribuição devem ser otimizados, racionais, a fim de evitar desperdícios. Assim, nota-se como relevante a proximidade entre o centro de produção da energia e o consumidor final, ou seja, apóia a descentralização da produção. E por fim, o maior aproveitamento de combustíveis limpos e disponíveis localmente. E que sejam renováveis, o que não acontece com os meios fósseis que são finitos e bastante poluentes.

Dentre as vantagens de se utilizar energias renováveis Torres cita os argumentos da Delegação brasileira apresentada na Conferência Ambiental Rio +10, em Johanesburgo, África, no ano de 2002. As energias renováveis:
– Podem aumentar o acesso à água potável proveniente de poços. Água limpa e alimentação cozida reduzem a fome (95% dos alimentos precisam ser cozidos antes de serem ingeridos). Energia em casa facilita o acesso à educação, aumenta a segurança e permite o uso de mídia e comunicação na escola. Diminuem, o desmatamento, aumentam a diversidade da oferta de energia, asseguram a sustentabilidade da geração desta a longo prazo. Ainda reduzem as emissões atmosféricas de poluentes.

Passos futuros

Julho de 2009 fica marcado como data de uma proposta positiva rumo à preparação do terreno para estruturação e transição rumo a uma matriz energética renovável. É que o Deputado Fernando Ferro (PT-PE) apresentou um relatório sobre o Projeto de Lei (PL) 630/2003 que regula os incentivos ao desenvolvimento das energias renováveis no País. O relatório de Ferro prevê a implementação de um parque gerador de energia com base renovável e assim, consolida outros 18 PLs em tramitação na Câmera dos Deputados.

O relatório torna-se importante por reunir propostas de incentivo ao desenvolvimento dessas fontes alternativas, regula a comercialização da energia gerada em fontes isoladas, onde geradores independentes podem vender seus excedentes para a concessionária local com contratos de longo prazo. Além de também prever a realização de leilões 600 MW que viriam de fontes eólicas, biomassa e pequenas centrais hidrelétricas. O que estimularia o desenvolvimento privado e consequentemente a ampliação dessas tecnologias renováveis.

Leia também em:

http://www.oestadorj.com.br/?pg=noticia&id=2826&editoria=Pa%EDs#

Anúncios