Agressividade, fobia, ansiedade e hiperatividade já não são exclusivos do homem

Melhor amigo do Homem

Melhor amigo do Homem

Já se foi o tempo em que distúrbios comportamentais eram problema do bicho homem. Agora, até animais sofrem comessas doenças da modernidade. Como é o caso dos cães. Os casos variam de medos extremos, ou seja animais fóbicos, ansiedade e até a agressividade. Problemas estes, que podem requerer tratamento com medicações, como acontece com a espécie humana.

Muitas vezes, o próprio dono é quem empurra o seu animal para esse abismo. Mas há solução, como afirmam os donos da empresa paulista – especialista em comportamento e treinamento de cachorros – Dogwalker, Raquel Hama e Paulo Carreiro, 32 (ambos). Há oito anos nesse mercado.

– No momento que o filhote cruza a porta da casa, as pessoas sem perceber já estão ensinando muita coisa errada. Alguns exemplos: dar atenção quando pula (quando adulto terá aprendido que o correto é recepcionar as pessoas dessa forma), permiti-lo latir e rosnar para ganhar um brinquedo, deixá-lo proteger sua comida, subir em camas e sofás, etc.

Eles aconselham a não estimular esse tipo comportamento punindo-o com “postura e voz firme” quando ocorrido e ensinam que o ideal “é recompensá-lo cada vez que ele apresentar um comportamento correto”. Assim, evita-se a posição de liderança do cachorro em relação aos demais da casa.

A tendência natural dos animais é ter no seu habitat um líder. Eles sempre buscam a quem seguir. Na falta destes, assumem o controle. Como relata o site do especialista em comportamento canino e apresentar do programa O Encantador de Cães, exibido no canal a cabo animal Planet, César Millan. “No mundo animal só existem duas posições: o líder e os seguidores.” (Trad.)

Adestramento x Trabalho comportamental

E para quem pensa que trabalho comportamental é o mesmo que adestramento. A resposta é não. São duas coisas distintas, como explicam os donos da Dogwalker. “No adestramento, o cão aprenderá alguns comandos de obediência que serão utilizados para reforçar a liderança das pessoas que convivem com o cão.” Mas independente do trabalho que for realizado é necessário que todas as pessoas da casa participem, de forma que haja uma sintonia com o animal em reabilitação.

Corram todos, mas com modos!

Corram todos, mas com modos!

Existem atualmente, com a internet mais ainda, formas de se conseguir dicas sobre como melhorar o comportamento de seu fiel escudeiro. Porém, a Dogwalker adverte, assim como médicos humanos, que nem todo mundo é igual. Logo cada caso é um caso. E nem sempre o que se vê na televisão ou web pode ser aplicado por completo em seu lar. “O melhor é contratar um profissional que fará uma avaliação no cão antes de se iniciar um ‘tratamento caseiro’.” Declaram Raquel e Carreiro.

Casos e Diagnósticos

Em falando em tipos de problemas psicológicos de animais, neste caso dos cachorros, os mais comuns que chegam à Dogwalker são os de medo extremo, ou seja, fobias – tal qual pânico humano – de cães que não foram socializados corretamente. Aqueles que não costumam ter muito contato com outras pessoas e animais, que não os da casa, que não passeiam com freqüência. No entanto, estes não são os mais complicados de se tratar e sim aqueles animais, cujos donos os adquiriram por buscarem companhia.

– cria-se um elo de afeto tão forte com este animal, que poderá gerar uma dependência mútua. O resultado dessa relação chama-se ansiedade de separação, distúrbio de comportamento que pode levar o cão a sofrer sérios danos em sua saúde mental e física. – explica os especialistas Raquel e Carreiro. A solução, tratamento para cão e dono. E fim de papo.

No site do Cesar Millan há uma enquete sobre comportamento animal. Total de inquiridos 268.873. Quase duzentos e sessenta e nove mil pessoas responderam. Lá, a agressividade sai na frente. Já dá para ter uma idéia sobre que tipos de problemas vêm afetando cães mundo a fora e a quantidade de animais afetados. Muitos. Não fique triste se seu cachorro não te obedece. Pense que você é que pode não estar sendo um bom líder. E lembre, há solução!

Leia na íntegra a entrevista com os profissionais da Dogwalker. Acesse a sessão Papo Fino.

Ufa!

Ufa!

Leia também em: www.oestadorj.com.br

Anúncios