Pesquisa de vagas na Internet sugere um Rio de Janeiro retraído nessa profissão

 Jornalista. Ser ou Não Ser? Parafraseando Shakespeare na famosa tragédia Hamlet, parece um bom caminho para começar a falar a respeito do suposto quarto poder. Pesquisei durante a primeira quinzena de outubro, site com vagas na área comunicação e jornalismo e o resultado apontou certa timidez no mercado de trabalho no Rio de Janeiro. Enquanto que na cidade da garoa, a tradição parece não pecar, mesmo em oportunidades de trabalho. Anda chovendo bastante por lá. 

Foram analisados quatro Blogs com atualização constante, onde se disponibilizou um total de 125 vagas para todo o Brasil. Desse montante, apenas 13 vagas floresceram na nova Cidade Olímpica. Em números São Paulo lidera com 72 vagas, com menor expressão vêm Brasília, 13, Minas, 10, Sul do país, 9 e demais regiões dividindo 8 vagas entre si.

Gráfico mercado de trabalho em jornalismo na Web

 

Para a Jornalista e RP, Coordenadora de Pós-Graduação em comunicação empresarial na Universidade Estácio de Sá e Mestre em Psicologia Social, Luciene Setta, esse número não é tão ruim assim. Ela afirma que:

 

– O mercado de comunicação empresarial é tão rico. Estou formada há 25 anos to em RP e 24 em jornalismo. Hoje em dia, pelo que eu tenha me informado o mercado nunca foi tão promissor. Se formos comparar SP sempre sai ganhando, tudo aconteceu mais lá do que aqui. Apesar de ser bem abaixo de SP é um número bom. Achei razoável.

 

A Jornalista ainda questiona. “Dessas 13 vagas será que vai ter gente especializada para preencher.” Luciene alerta para a questão da especialização do mercado. Ou seja, foi-se a era do jornalista generalista puramente. Agora é preciso ir a fundo em algum tema para estar no mercado. “O que as pessoas têm que prestar atenção é que as assessorias estão se especializando muito. Não só na grande área, mas dentro da comunicação. Comunicação empresarial o quê? Arquitetura? Cultura? Só a faculdade hoje em dia não é mais nada.” Declara a jornalista

 

Outros lados

 

Uma bela profissão pouco lucrativa

Se para a Coordenadora Luciene o mercado tem dado bons resultados, as jornalistas Fátima Prado que possui experiência como coordenadora em assessora de comunicação em ONG e Fernanda Freitas em radiojornalismo e assessorias de comunicação, a história muda de figura. Fátima Prado afirma que:

 

– O mercado de trabalho para jornalistas no Rio de Janeiro está muito restrito. A maior parte das oportunidades que tenho visto são para estagiários, que continuam sendo usados como mão-de-obra barata. É desanimador ver que bons profissionais não conseguem colocação no mercado. A solução para muitos é investir em concursos públicos.

 

Fernanda Freitas concorda. Para ela o mercado carioca está em complicado para formados.

 

– Na minha opinião, o mercado para jornalistas no Rio é extremamente fechado. Sobrevive quem tem “padrinhos” no meio ou quem aceita atuar como freelancer recebendo salários muito abaixo dos que estipulado na tabela do sindicato.

 

Essa impressão do mercado de indicações é confirmada pelo diretor geral do site Trabalhando.com.br, Renato Grinberg, em entrevista ao Portal G1 . Ele alerta para a importância de redes sociais como Orkut, Twitter, Linked In e Facebook como meio de mostra-se ao mundo profissional em que se almeja ingressar ou permanecer.

 

– No mundo todo 80% das vagas são preenchidas por indicação e 20% são por recrutamento. Nada substitui a indicação de quem você confia, principalmente em cargos que exigem nível superior.

 

O que fazer?

 

Enquanto batalham por uma nova vaga no mercado de trabalho jornalístico, ambas as comunicadoras, Fátima* e Fernanda**, investem parte dos seus tempos e talentos em blogs, uma tendência que cresce dia-a-dia na recente web 2.0. Lá elas expressam suas idéias, conhecimentos e trocam informações com um mundo cada vez mais avolumado por informações diversas.

 

Todas as vagas analisadas envolviam o mercado formal privado e público com concursos em todo o país, estágio,

trainee e autônomo ou Freelancer. Para tanto, foram acompanhados os seguintes sites: Blog do Couto, Twitter Link Zero**, Twitter Vagas Jornalismo, Twitter Uma Lauda.

 

Para mais dicas de oportunidades em comunicação acompanhe também: Rede RP, Marketing e Comunicação, Blog Link Zero, Rio Job, este último, mais voltado ao webdesign e produção gráfica. Boa sorte!

Sucesso sorte, capacidade, network e fé em jornalismo!

Anúncios