Estilo


E que ela esteja livre da hipocrisia!

E que ela esteja livre da hipocrisia!

Nem Afrodite é bela nos padrões atuais!

Brasil mostra tua cara! Já bradava Cazuza no fim dos anos 80. Sim, mostra tua cara, pois mesmo que digam que o Brasil é um país livre de preconceitos, este não o é. Preconceito de se você é gordo demais, magro demais, baixo ou alto demais, negro ou muito branco, cabelo crespo. Enfim… Sim existe muito preconceito, ainda mais em tempos de celebridades instantâneas, onde seus corpos são vendidos como perfeitos e logo desejado por homens e mulheres.

Mas até então qual o problema em malhar para manter a forma e saúde?! Desde que cada um aceite sua genética, aceite seu biótipo, que nem sempre será igual ao de A, B ou C que aparece na telinha. Então, o que me move hoje, a escrever sobre beleza, ou melhor padrões de beleza impostos pela sociedade é a forma como isso se torna um preconceito sutil no em searas do mercado de trabalho.

Bom, tudo começou quando eu desempregada como estou resolvi pedir a uma amiga que me indicasse para fazer o BICO que ela conseguiu por indicação de uma amiga dela. Deu para entender, não?! Pois bem, enquanto não rola nada na área (jornalismo) para mim, pensei por que não tentar recepção e atendimento de eventos. Do tipo, congressos, conferências, seminários e etc. Que exatamente o que minha amiga está fazendo. Ganha um trocado razoável, ao menos a minha querida amiga sempre recebe em torno de R$100, por dia. Salva minha pátria, né!

(mais…)

Anúncios

Há quem ache que esta é a melhor forma de protestar contra o consumismo

Arremesso de celular Finlândia

Arremesso de celular Finlândia

Acontece em outubro próximo um campeonato um tanto quanto irreverente. Afinal, é preciso lançar ao ar aparelhos celulares, qualquer que seja, caro, barato. Esta é a segunda edição do Campeonato Sul-Americano de Arremesso de Celular. Junto deste, acontece o primeiro Campeonato Mundial de Arremesso de Notebook. Tudo isso, na Semana da Segurança Empresarial de Itaipu que comemora os 35 anos da segurança na e da Hidrelétrica Itapu Binacional.

(mais…)

 

 Produtos de beleza, estudos, roupas, cabeleireiro… quanto custa mesmo?!

   

Mulheres Maravilhas

Mulheres Maravilhas

Pessoas do Blogueando, estive divagando a cerca do universo feminino, peguei-me pensando em… quanto custa ser mulher?! Caro, muito caro! Tudo começa com a cobrança que sofremos para sermos bonitas, inteligentes, vaidosas, responsáveis no lar e profissão. Versáteis. A cobrança é tamanha, mas ao mesmo tempo tão comum, que nós mesmas absorvemos no decorrer de nossas vidas. Um desespero total para manter-se “olhável”.  (mais…)

Porque é tudo culpa da Eva!

Andei divagando sobre a figura feminina e os problemas que afligem essa pobre e injustiçada alma. Auto lá, a quem disser que mulher tem vida boa. Mesmo as que não tem jornadas longas dentro e fora de seus lares. Mas catando uma coisinha aqui, outra ali, juntando outras acolá, a conclusão a que chego é que tudo leva a crer na culpa da Eva. É aquela mesma da bíblia, criada da costela de Adão. Motivo este de muitas piadas entre os dois sexos.

Reparem que até a cobra é mulher.

Reparem que até a cobra é mulher

A história não mente

Desde os primórdios, até hoje em dia… rsrs. A história não nega que o ser mulher sempre foi extremamente injustiçado pela sociedade dos machos dominantes. Era a boa alma servil. Servia a cama, a mesa e até o banho, com os escalda pés de seus distintos maridos zelosos. Era algo com a sacra missão de cuidar. Cuidadora do lar, dos filhos e maridos, dos doentes, blá, blá, blá.

Nos remotos tempos da criação, surge a Eva para esparro. O pecado original? Foi tudo culpa da Eva, que fez inferno no paraíso. Quem mandou ser bonita, sexy, atraente e descerebrada. Também quem mandou usar a costela. Tinha nada melhor não?!

Deu merda? Foi a Eva! Ela é mulher e de mulher só vem… merda. Sinônimo do mal encarnado, que deveria ser guiada à luz, por quem? Pelos homens. Se soubessem então, fazer um chá para curar azia… humm toca fogo que é bruxa. Pendura, pedra no pescoço e manda rio a baixo, ou melhor, a fundo. Pobre Eva. Deve estar quase no ritmo do falem mal, mas falem de mim. Quantas crianças nascem e são registradas como Eva?!

A mulher não tinha direito a voto (descerebradas total). Não escolhia seus maridos eram negociadas, não podia ter

Desejos reprimidos pela cultura do macho

Desejos reprimidos pela cultura do macho

orgasmos, nem fazer nada fora do script das convenções sociais. Trabalhos e educação tudo voltado para o lar. Cozinhar, lavar, passar, servir um jantar especial, coordenar os empregados da casa, bordar, crochetar e cuidar, cuidar e cuidar… Será que podia peidar?! Mesmo sozinha no lavabo?! Hunff!

Tempos modernos

Vida que segue e a mulher que se f. A cartilha de comportamento feminino é bem mais rígida que a masculina. Desde muito cedo aprende-se que menina, não senta de pernas abertas, não xinga palavrão, não coloca a mão nas partes baixas – só para lavar – nem anda sem camisa em casa quando tem visita. Mesmo que o máximo que apareça sejam apenas algumas frágeis costelinhas. Mas veio de Adão. A doação defeituosa foi dele, mas por que raios só culpam a Eva. E ainda a acusam de falar demais. Santa injustiça!

Continuando. Brinquedo de menina? Panelinhas, casinhas, vassouras, cozinhas, bebezinhos, tudo de modo geral na mais completa apatia. Num fala, num mexe, num anda. Nem os carrinhos da Barbie se moviam sem que a menina empurrasse com o bundão para o alto! Aff!

E dos meninos? Ah, para eles, carrinhos cheios das frescuras, com controle remoto que piscam, bonecos que se mexem, montam e desmontam, barquinhos e aviões que funcionam de verdade. Será que é exigir demais a produção de mais brinquedos que façam alguma coisa além de incentivar a menina a ser dona do lar e solitária cuidadora?!

Cuidadoras eternas.

Cuidadoras eternas

Pois bem, mulher também gosta de carros, de ler, pensar, produzir conteúdo, também sente coceira nas partes baixas quando se depila e pelos crescem. Mas vou lá eu meter a mão, mesmo que discretamente para dar uma coçadinha. Nem penso! O pior é quando as calcinhas não querem ficar onde colocamos. Que tristeza, é um tal rebola para cá, para lá e nada da bendita sair do lugar onde não devia estar. Só um banheiro nessas horas!

Desvantagens

Mulher menstrua, tem TPM e incha pelo menos uns dois quilos, mulher chora facilmente quando se irrita e não pode dar aquela porrada em quem a importunou. É feio ser agressiva! Aí já entra em outra seara, da mulher macho, de bigode, sapatão. Lésbicas, modernamente falando. Mulher tem buço. Pra que serve essa merda, a não ser para gastar dinheiro na depiladora. Se deixar crescer vira chacota e ainda disputa com o top 10 da Fazenda. Como seria o buço de Eva?! O meu é discretíssimo. Amém!

Mulher faz ballet, não kickboxing. Toca piano ao invés de guitarra. Canta soprano e não heavy metal. Usa saias e vestidos, anda no carona e não ao volante. Escolhe a cor da casa, mas do carro…  Mulher fica grávida, engorda, emagrece e depois vive o toma que o filho é teu. Por mais que os pais sejam Pais, o pior sempre fica nas mãos dela. Neste contexto, mais ao estilo Maria, mãe de todos. Com resguardado respeito à figura Santa, na qual creio.

Primeira piloto solo da FAB

Primeira piloto solo da FAB

Putz, onde está a graça?! Dona de casa, que trabalha fora, cuida do marido, filho, atura o chefe homem, que nada entende da subordinada e seus dilemas inerentes ao sexo. Não anda, desfila. Tem que estar sempre impecável, para fazer parte do grupo das bonitas e cobiçadas. Feliz é a Madona que com 50 anos anda peladona nos palcos e recebe aplauso como diva. Mas quando surgiu foi de encontro aos paradigmas comportamentais para o feminino. Like a Virgin que o diga.

E ainda por cima, ter que fazer mil estripulias para chamar a atenção dos noivos, maridos, namorados depois de anos de relacionamento. Oh vida difícil viu! Quem foi que disse que ser mulher é fácil. Por que não tenta ser uma?! Há quem opte, mas ainda sim, não tem a noção completa e complexa do que é nascer com uma vagina ao invés de um pênis. Meu consolo é que todo feto é mulher antes de se definir sexualmente. E isso, é porque foi Adão quem deu origem à Eva.

Mulheres avante!

Mulher também pensa

Mulher também pensa

Grupos Produtivos do Rio que defendem melhores condições de vida através da valorização do talento e geração de renda em Comunidades

Mas nem só de lucros capitais vive a moda brasileira. Para atestar isso, basta conferir o estande Empreendedorismo Social do SEBRAE, que reúne 7 grupos produtivos de diversos pontos do Rio. Dentre eles dois grupos da ONG Ação Comunitária do Brasil/RJ,(ACB/RJ) que há 42 anos trabalha com inclusão social e econômica em Comunidades do da Cidade.

A Moda Étnica da ACB/RJ que trabalha com o resgate da cultura afro-brasileira, trouxe uma coleção composta por tingimento de tecido com Batik e Tié-dye, estampas geométricas e zoomórficas principalmente, com detalhes em serigrafia e bordado. O xadrez também ganhou um espaço na nova coleção.

Para completar esse trabalho as luxuosas e exóticas jóias de Cerâmica Negra da Maré, que nesta edição misturou linhas para bordar ás peças. Uma curiosidade fica por conta da técnica utilizada para texturizar as peças. Agora o chuchu e o quiabo ganham nova função, fora a  alimentação, dar relevos às jóias de Cerâmica Negra.

Quem embarca nesta onda é o Pólo de Moda Petrópolis, que traz trabalhos lindíssimos sob o tema Raízes inspirados nas influências alemã, portuguesa, francesa e italiana da região. Formado por 12 grifes petropolitanas, este Pólo de Moda traz trabalhos em bordado feitos por moradoras de comunidades de baixo poder aquisitivo locais. Assim, a sugestão de Petrópolis para a moda outono/inverno são looks que variam do curto ao longo com cortes geométricos. Dentre as cores sobem à passarela o vermelho, o verde, o roxo, o bege e o branco. Aqui o preto se mistura aos trabalhos em tricô tanto compondo toda a peça como apenas em detalhes que conferem graça e alegria à roupa.

Outra iniciativa exemplar é a linha de lingeries para mulheres que tiveram câncer de mama e consequetemente a retirada do seio. O Pólo de Moda de Nova Friburgo, é o responsável por essa ação solidária e humana, ao apostar num trabalho de alta sensibilidade sugerindo conforto, elegância e sensualidade visando a elevação da auto-estima dessas mulheres. As peças possuem um enchimento de silicone nos bojos dos soutiens, que são super macios ao toque e conferem um volume discreto, natural ao vestir.

Babados, fitas, rendas dialogam com jóias e guipures na composição da moda íntima. Esta coleção de extrema delicadez é batizada de “Se toque! Proteger-se é fashion”. E assim é realizada uma campanha contra essa doença que aflige muitas mulheres em todo o mundo. Quem visitava o estande e parava para ouvir sobre a coleção ganhava um lacinho cor de rosa como forma de manifestar sua solidariedade a quem enfrenta esse fantasma chamado câncer.

Outono/inverno com muitas cores e formas de trabalhos artesanais

Alô, Alô nação fashion do meu saudoso Rio de Janeiro! Estamos na primeira semana de moda do ano e uma das mais badaladas, o Fashion Rio. Tudo bem que não sou expert no assunto, mas me arrisco a dar uns pitacos, algumas piruadas com base no que andei vendo por lá. É eu estava lá. Aliás já fui algumas vezes, então vamos lá.

Para começar essa edição do Fashion Rio/ Business foi a edição dos óculos gigantes, desses espalhafatosos meio quadrado meio com cantos arredondados que tomam meio rosto de quem usa.

Também foi a edição das sandálias gladiador. Elas estão durando bastante nas ondas da moda, apesar de já estar nos pés da mulherada há algum tempo, mas parece que continua com toda força. O que tinha de gente assim! Várias figurinhas repetidas. Rsrs!

Outra coisa que percebi ou que me causou a impressão é que este ano o evento está mais fraco, murchinho. Alguns dizem ser poor conta do calor, outros culpam até a crise econômica. Mas a verdade é que está diferente, menos movimentado que há um ano, que também tinha um sol escaldante. O espaço da área dos lounges com a decoração da Lapa, tema desta edição, não ajudou muito tb.

Os painéis gigantes criando uma espécie de curral, corredor entre os salões de desfile que desemboca na área vip esquenta demais, o ar circula com dificuldades por entre os painéis. Sem falar que ficou meio confuso saber o que é salão de desfile e o que é painel. Enfim, na minha visão em comparação com as outras edições ficou ruim. aquela área é um espaço onde as pessoas vão para ver e serem vistas é o desfile dos anônimos. Cada figura que passa por ali. rsrs!

A área VIP, também só ajuda a decoração à noite com as luzes que dá sim um ar de barzinho da Lapa. Mas de dia. o chão de madeira corrida e a posição que foi montado o espaço não ajudaram muito. Este ano montaram os lounges nas laterais ao invés de ser central como nas outras edições a que fui. Assim, a única entrada de ar é da Baía de Guanabara, o que esquentou demais essa parte do evento. Mesmo tendo colocado ventiladores inspirados no calçadão de bangu… eles esguicham água, mas não resolvem muito para quem está mais para o meio da área. Enfim… coisas da moda! Vida que segue até a edição de junho.

Outono/inverno: com que roupa eu vou?

O que tem vez na próxima estação, no geral, são as estampas geométricas, tendendo em partes ao zoomórfico, o bom velho xadrez de diversos formatos aliado ao bordado, tricô, tear e aplicações variadas. Essa é a base de todas as coleções apresentadas na bolsa de negócios do Fashion Rio.

Sou suspeita em falar, pois como eu disse, não sou lá nenhuma “tiete” da moda, e independente de estar em alta ou não, uma saia xadrez bem combinada com a parte de cima, acessórios e o lugar a que se vai, para mim, sempre cai bem.

O que se percebe ao caminhar pelos três corredores do Fashion Business é uma onda de produtos com base artesanal. Muito bordado, bastantes aplicações nas roupas com tema floral, paetês, miçangas entre outros materiais que conferem a uma peça simples um brilho à parte.

Colagens com retalhos assemelhando-se a um quebra cabeças e cores fortes como tons mais fechados de azul, verde musgo, vermelho, tons de marrom, chá, roxo e até uma coisinha ou outra em rosa e salmão, também estão entre as dez mais da próxima estação. Quem mesmo que com menos holofotes continua de pé sãos os tons básicos preto e branco.

Os tecidos mais encontrados para aquecer no frio, quase inexistente, carioca são lã e os flanelados, em quase todo estande havia peças com variações destes. Para os mais descolados jeans e algodão, que também continuam com tudo e parecem estar prosa. Um bom exemplo são as coleções da Oh Boy!, Redley, Pura Mania e algumas mais.

A valorização do trabalho manual é algo que ganha muito espaço. As estampas geométricas de cores vibrantes, dando formas à imagens grandes, intrigantes, fazem os looks do próximo outono/inverno. Um exagero discreto, de tão harmônico que ficam as peças. Assim pode!

As bijuterias e jóias também têm muito destaque e atende a todos os gostos, feitas com resina bem coloridas e até mesmo papel, fazendo o estilo ecologicamente correto. O que também não fica de fora são o ouro e prata tanto em seu estado natural, como envelhecida. Quem chama atenção com esse tipo de trabalho é a Jóia Carioca e a Moda São Gonçalo.

Apesar de a maioria dos acessórios estarem tendendo ao artesanal, esses metais nobres não perdem a majestade. Há alguns estandes só com materiais desse tipo e, diga-se de passagem, artigos luxuosos e de bom gosto.

Couro é algo que parece estar meio adormecido. Não será a vedete da próxima estação, então amigas, podem deixar guardadas aquelas roupinhas meio country, que já tiveram seus momentos de glória. Ser fashion agora é usar roupas com detalhes feitos à mão.

Com um estande todo inspirado na natureza, decorado com aves, plantas e folhas, a Homem de Barro, grande destaque de um ano atrás no Fashion Rio, lança a coleção intitulada “o menino do dedo verde”, inspirada na obra de Maurice Druon. Lá o xadrez , os estampados e os tons escuros como verde e azul fechados ditam as regras.

Mais infos:

http://www.acaocomunitaria.org.br

http://www.fashionrio.com.br

http://www.modapetropolisfashionrio.com.br

Boa sorte!